Planear a viagem
Antes de colocar a mochila às costas, é importante planear todos os passos a seguir.

Queremos que esta seja uma viagem inesquecível. Para o ajudar a preparar a sua visita à Via Algarviana, procure o tópico de informação do que quer saber e as perguntas frequentes.

 

O que procura?

CONHECER O TERRITÓRIO

Que território vou visitar?
É a primeira vez numa Grande Rota Pedestre?
Qual é o sentido recomendado?
Em quantos dias posso percorrer a Grande Rota?
Que tipos de trilhos existem?
Qual o clima local?
Qual é a melhor altura para visitar?
Posso realizar percursos durante o Verão?

 

PREPARAÇÃO

Como preparar a caminhada?
Que preparação física devo ter?
Que equipamento levar?
Mapas e tracks disponíveis
Como interpretar a classificação do grau de dificuldade?

Que informação encontro na APP?
Que sinalética devo seguir?

Como chegar à região?

 

COMER E DORMIR

Há alojamento ao longo do percurso? E onde posso comer?
É preciso reservar antecipadamente?
Existem multibancos no caminho?

 

SEGURANÇA

Recomendações de segurança
Existe rede de telemóvel ao longo do percurso?
Devo caminhar sozinho?

Devo caminhar com crianças?
Devo caminhar com animais de estimação?
Que cuidados devo ter em zonas de caça?
Que regras de conduta devo respeitar?

 

BTT

A GR13 – Via Algarviana é completamente ciclável?
Em quantos dias devo realizar a travessia da GR13 em BTT?

Qual a melhor altura para realizar a GR13 em BTT?
Que outros percursos posso realizar em BTT?
Que condição física esta Grande Rota exige?
Que cuidados devo ter na preparação da bicicleta?
Existem pontos de abastecimento ao longo do percurso?
Que tipo de mantimentos devo levar?
Devo levar material de reparação na bagagem?
Devo usar GPS?

 

COVID-19

Posso realizar percursos durante a pandemia?
Existem medidas restritivas em vigor?
Que cuidados devo ter enquanto visitante?

 



CONHECER O TERRITÓRIO

Que território vou visitar?
O itinerário da GR13 atravessa 9 concelhos do Algarve: Alcoutim, Castro Marim, Tavira, São Brás de Alportel, Loulé, Silves, Monchique, Lagos e Vila do Bispo.
O território “Via Algarviana” integra uma rede de percursos pedestres no Algarve, que a complementam e lhe criam diversas alternativas, ao sabor dos gostos e das capacidades dos caminhantes. As Ligações à Via Algarviana levam os caminhantes a descobrir também os concelhos de Albufeira, Aljezur e Portimão, estando para breve também a instalação de uma nova Ligação ao concelho de Lagoa.

 


É a primeira vez numa Grande Rota Pedestre?
A Via Algarviana é uma Grande Rota Pedestre (GR13) que liga Alcoutim ao Cabo de São Vicente, com uma extensão de cerca de 300 quilómetros, na sua maioria instalados na Serra Algarvia. Pretende-se que venha a fazer parte das Rotas Transeuropeias, ligando-se ao E4 e ao E9.
Esta Grande Rota pode ser percorrida também em BTT. Antes de começar, recomendamos a leitura atenta da informação disponível para esta modalidade.
Leia também: A PRIMEIRA VEZ NUMA GRANDE ROTA? 5 Informações a ter em conta!

 


Qual é o sentido recomendado?
Recomendamos que realize a Grande Rota partindo de Alcoutim em direção ao Cabo de São Vicente. No entanto, se optar por realizar este percurso no sentido inverso, desde o Cabo de São Vicente até Alcoutim, deverá ter em atenção que os valores da subida e descida acumulada invertem e como tal o grau de dificuldade também se altera.

 


Em quantos dias posso percorrer a Grande Rota?
O percurso encontra-se dividido em 14 Setores. A duração da viagem depende da escolha do caminhante e da sua preparação física. Poderá dividir ou juntar Setores, conforme a sua preferência e a disponibilidade de alojamento no local onde pretende pernoitar. Poderá também prolongar a sua estadia em cada Setor, visitando locais de interesse cultural ou explorando outros trilhos pedestres existentes nas proximidades. 
Recomendamos o planeamento antecipado do percurso, verificando o grau de dificuldade dos setores, as necessidades técnicas e logísticas, reservando previamente os alojamentos e prevendo os pontos de abastecimento de água e alimentos.

 


Que tipos de trilhos existem?
A Via Algarviana tem ainda 12 Pequenas Rotas complementares, 10 Percursos Áudio Guiados, 7 Ligações (que brevemente passarão a 9, com a implementação de 2 novas Ligações) e 4 Rotas Temáticas implementadas no Algarve que lhe permitem conhecer um pouco mais da região.
Descubra-os na página de "Percursos".

 


Qual é o clima local?
O interior do Algarve possui características climatéricas muito próprias. Com um clima temperado mediterrânico, apresenta temperaturas amenas ao longo de todo o ano.
O verão é quente e seco, e este não é o período indicado para realizar esta Rota: as elevadas temperaturas aumentam o grau de dificuldade e a paisagem é menos interessante. A partir de setembro, as temperaturas começam gradualmente a descer (embora por vezes durante os meses de setembro e outubro as temperaturas ainda estejam demasiado elevadas para caminhar). A altura do ano mais recomendada para a caminhada é, sem dúvida, a primavera. De fevereiro a abril, o campo atinge o seu auge em termos florísticos.

 


Qual é a melhor altura para visitar? 
 O outono é uma boa escolha para se fazer ao caminho, com o início das primeiras chuvas o campo começa a despertar. Mas a melhor altura é sem dúvida a primavera, pela beleza da paisagem e as temperaturas mais amenas.

 


Posso realizar percursos durante o Verão?
O verão é, seguramente, a altura do ano com menor beleza paisagística. As linhas de água, maioritariamente de regime torrencial, encontram-se secas assim como a vegetação envolvente. O tempo quente e seco e as elevadas temperaturas aumentam o grau de dificuldade. A maioria dos setores apresenta pouca sombra. 
Se ainda assim escolher esta época para caminhar, inicie sempre bastante cedo, tanto mais cedo quanto maior a extensão do percurso, evitando assim caminhar nas horas de maior calor. Leve água e comida em quantidade redobrada, pois em muitos dos setores não existem pontos de abastecimento.

 

 


PREPARAÇÃO

 

Como preparar a caminhada?
Antes de meter a mochila às costas, por favor, procure informação válida nos canais de comunicação oficiais da Via Algarviana! É importante que se informe sobre todas as especificidades da região que vai percorrer. Para sua segurança, veja com atenção os mapas de cada percurso e, se tiver experiência na utilização de GPS, faça o download dos tracks.

 


Que preparação física devo ter?
Percorrer a GR13 - Via Algarviana é também uma viagem de superação, ao atravessar as três serras algarvias - Caldeirão, Monchique e Espinhaço de Cão. É fundamental ter uma boa preparação física e pesquisar antecipadamente as características do território. 

 


Que equipamento levar?
Não se esqueça de levar na mochila um estojo de cuidados médicos. Usar calçado e vestuário apropriado para caminhada, confortável e adaptado às condições climatéricas é essencial. Leve também consigo os seus bastões de caminhada, protetor solar, chapéu, telemóvel, power bank e canivete.

 


Mapas e tracks disponíveis
Leia atentamente o Guia Informativo Geral da Via Algarviana e leve consigo os mapas ou descarregue os tracks para seguir no GPS (se for utilizador experiente). Em cada percurso, irá encontrar toda a informação que necessita disponível para download
Leia também sobre a sinalética que irá seguir no terreno durante o percurso.

 

Como interpretar a classificação do grau de dificuldade?
A Associação Almargem, entidade gestora da Via Algarviana, elaborou uma fórmula, exclusiva, para aferir o grau de dificuldade de cada infraestrutura da Via Algarviana.
O grau de dificuldade engloba alguns parâmetros, nomeadamente: a extensão do setor; o tipo de piso e o declive.

 

Fórmula: DE = DR + ES

em que:


DE - distância equivalente num percurso horizontal (km)
DR - distância real (km)
ES - esforço suplementar
ES = SD/100 + Ad
em que:
SD - soma total (em metros) de todos os declives positivos e negativos
Ad - nº de dificuldades técnicas adicionais (declive> 30%, piso muito irregular, passagem difícil, mato muito denso, etc.).

 

A cada infraestrutura foi atribuída um grau de dificuldade, através do valor obtido pela fórmula, tendo por base indicada dentro da seguinte escala:

 


Que informação encontro na APP?
É fã do digital? A APP Via Algarviana está a chegar! Brevemente, tudo o que precisa de saber está à distância de um clique no seu telemóvel. Descarregue a APP gratuitamente e tenha sempre à mão mapas, pontos de interesse e outras informações úteis.  A APP dá-lhe uma segurança adicional: pode aceder mesmo nos locais onde não há cobertura de rede móvel.

 


Que sinalética devo seguir?
A GR13 - Via Algarviana encontra-se sinalizada no terreno com um conjunto de equipamentos que incluem postes e setas de direção, setas informativas e painéis de interpretação.

Além destes materiais, foram colocadas inúmeras pinturas em superfícies naturais, como rochas, de forma a indicar o sentido do percurso, recorrendo sempre aos códigos de identificação de Grande Rota (GR), registados pela Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal, tal como se ilustra na imagem.

 

 

 

Se vai percorrer uma Pequena Rota, tenha em atenção as diferenças que vai encontrar na sinalética: 

 

 

As Rotas Temáticas e os Percursos Áudio Guiados têm sinaléticas próprias instaladas no terreno. Conheça-as na informação sobre cada uma destas redes de percursos. 

 

 

Como chegar à região?

  • De avião
    O Algarve possui o Aeroporto Internacional de Faro que dispõe de voos para um vasto leque de países e cidades. Caso não seja possível viajar desde o ponto que pretende, opte pelo Aeroporto da Portela em Lisboa, que realiza voos para mais destinos.

  • De comboio
    Se desejar iniciar o percurso em Alcoutim, poderá ir de comboio até Vila Real de Santo António; embora seja uma viagem que poderá demorar algum tempo, vale a pena pela beleza do trajeto. Em Vila Real de Santo António, deverá apanhar um autocarro até Alcoutim.
    Se preferir realizar a rota no sentido inverso ao recomendado, desde o Cabo de São Vicente, deverá seguir viagem até Lagos e aí apanhar um autocarro até Sagres.

Se pretende realizar a GR13 - Via Algarviana na modalidade BTT, este é o melhor meio de transporte coletivo, uma vez que poderá transportar a sua bicicleta gratuitamente. Aconselhamos a que veja as Ligações à Via Algarviana disponíveis desde estações de comboios até ao eixo principal da Via Algarviana, para melhor planear a sua viagem. Esta poderá ser uma boa opção para si.

Consulte os horários de comboio no website da CP.

  • De autocarro
    A Rede Expresso possui uma oferta diversificada de horários de autocarro de vários pontos do país até Faro ou até Lagos, consoante o sentido em que optar por fazer a Rota. De Lisboa, existe uma ligação direta para Balurcos, onde se inicia o 2º Setor, sendo possível contratar táxi ou serviço de transfer até Alcoutim para o seu 1º dia de caminhada.
    Relativamente aos autocarros de carreiras interurbanas, existe uma forte limitação de horários ao fim de semana e no período não escolar, já que a maior oferta de horários é na época escolar.
    Consulte os horários dos autocarros da região no website da EVA transportes

 

 

 

COMER E DORMIR

Há alojamento ao longo do percurso? E onde posso comer?
Sim, existem alojamentos disponíveis no início e no final de cada Setor, bem como serviços de restauração. Planear antecipadamente onde irá ficar alojado e onde fazer as suas refeições principais é muito importante. Poderá consultar os serviços disponíveis em Reservar.
Recordamos também que o campismo selvagem em Portugal é proibido, por lei, e sujeito a coimas. 

 

É preciso reservar antecipadamente?
Faça todas as reservas de alojamento antes de iniciar a caminhada. Recomendamos que reserve antecipadamente todas as suas dormidas e refeições, para não correr o risco de ser surpreendido por um estabelecimento esgotado ou encerrado à chegada. Esta recomendação é ainda mais importante para quem está a planear caminhar em tempo de pandemia de COVID-19, pois poderá encontrar alguns serviços a funcionar de forma reduzida ou mesmo encerrados. 

Leia a informação sobre todos os percursos e verifique se existem pontos de apoio (como cafés ou mercearias) para levar consigo todos os mantimentos e água necessários para o caminho.

Ao fazer a sua reserva, estará a apoiar uma micro ou pequena/média empresa do interior algarvio e a estimular o desenvolvimento da economia local.

 


Existem multibancos no caminho?
Brevemente, a nova edição do Guia Informativo da Via Algarviana informa se existe multibanco e em que localidades, em cada Setor e Ligação.

  • ATENÇÃO: Faça um bom planeamento para evitar ficar sem dinheiro, pois em muitas das pequenas povoações não existe a possibilidade de pagar com multibanco. 

 

 



SEGURANÇA

Recomendações de segurança
Avise sempre alguém de confiança sobre o percurso que vai realizar e leve sempre consigo todos os contactos de emergência. O nosso conselho: disponibilize os seus contactos aos alojamentos; assim, haverá sempre alguém à sua espera que, no caso de incidente e de não aparecer, poderá lançar um alerta.

 

Existe rede de telemóvel ao longo do percurso?
ATENÇÃO, numa grande extensão da rota não existe cobertura de rede móvel.

 


Devo caminhar sozinho?
Caminhar sozinho não implica que se aventure sozinho nesta experiência. Avise sempre alguém de confiança sobre que percurso(s) vai realizar.

Ao caminhar sozinho, só poderá contar consigo. No caso de acidente, deverá ter sempre em mente que numa grande faixa da rota não existe rede de telemóvel, pelo que poderá ser difícil pedir ajuda.

  • Deverá ter na sua mochila um pequeno estojo de cuidados médicos onde deve incluir, pelo menos: pensos rápidos, pomada para dores musculares, pomada contra picadas de insetos, solução desinfetante e antisséptica, compressas e soro fisiológico;
  • Leve GPS ou algum tipo de cartografia auxiliar, nomeadamente o(s) mapa(s) do(s) percurso(s) que vai percorrer para, no caso de necessitar de pedir socorro, conseguir indicar onde se encontra. Leve sempre consigo todos os contactos de emergência.
  • Alguns dos setores, além de longos, possuem dificuldade elevada, pelo que é necessário garantir que leva água e comida em quantidade suficiente. ATENÇÃO: em vários setores não encontra pontos de abastecimento.

 


Devo caminhar com crianças?
Não é aconselhado percorrer a GR13 – Via Algarviana com crianças, dado o grau de dificuldade dos setores e as especificidades do território. Por outro lado, em vários setores não existem pontos de apoio.
Sugerimos que pesquise as 12 pequenas rotas complementares. Alguns destes percursos pedestres, circulares e com menor extensão, podem ser uma opção.



Devo caminhar com animais de estimação?
Antes de decidir trazer o seu animal de estimação consigo nesta aventura, não se esqueça de organizar também a viagem do seu companheiro. Assegure-se junto dos alojamentos onde ficará acomodado se os animais de companhia são bem vindos.
Não se esqueça que há setores com uma longa extensão, o que será bastante exigente. Tenha também atenção ao piso: em dias mais quentes, o calor pode ser um inimigo das patas do seu amigo.
Não se esqueça também de planear a alimentação e de levar água em grande quantidade, para si e para o seu companheiro. 



Que cuidados devo ter em zonas de caça?
Muitos dos traçados passam perto de zonas de caça, municipais e privadas, pelo que recomendamos a que leve consigo uma peça de roupa fluorescente e/ou um apito.
Caso se aperceba que existem caçadores na zona, apite para se fazer ouvir e coloque uma peça de roupa fluorescente para ser mais facilmente avistado.
Recomendamos que, antes de iniciar a caminhada, informe-se junto da população local se nesse dia há algum evento de caça na zona.
 

 

Que regras de conduta devo respeitar?
Nunca é demais relembrar o código de conduta deverá respeitar, enquanto percorre qualquer trilho da rede de percursos da Via Algarviana:

  • Siga apenas pelos trilhos sinalizados;
  • Não abandone o lixo no caminho;
  • Não recolha amostras de plantas ou rochas;
  • Não danifique elementos do património natural ou cultural;
  • Não faça qualquer tipo de lume;
  • Não danifique a propriedade privada;
  • Evite barulhos e atitudes que perturbem a paz local;
  • Não perturbe os animais;
  • Seja educado com as populações locais.

Deixe a sua Pegada Verde: recolha o lixo não orgânico que encontrar durante o percurso e deposite-o nos locais apropriados quando chegar ao destino.

 

 

 

BTT

A GR13 – Via Algarviana é completamente ciclável?
Esta Grande Rota Pedestre também pode ser percorrida na modalidade BTT. O percurso é ciclável em mais de 90% dos cerca de 300 quilómetros de extensão. No entanto, em pequenos troços é necessário transportar a bicicleta à mão ou carregá-la ao ombro.

 


Em quantos dias devo realizar a travessia da GR13 em BTT?
A duração da viagem depende da sua vontade e da capacidade física. De uma forma geral, recomendamos a realização dos 14 Setores da GR13-Via Algarviana em 5 dias. Para facilitar a organização da viagem, consulte as 5 etapas propostas para a travessia aqui.
Poderá sempre adaptar estas etapas conforme a sua preferência. Não se esqueça de confirmar, se alterar este plano de viagem, se existem serviços de alojamento e restauração nos pontos onde decidir parar a sua jornada diária.

 


Qual a melhor altura para realizar a GR13 em BTT?
Os meses de outubro a maio são os mais indicados para percorrer a Via Algarviana, pois encontra um clima mais ameno e propício à prática da modalidade. A primavera é a altura mais recomendada, pois irá encontrar uma paisagem com maior beleza natural.
Nos meses de verão, o interior algarvio atinge temperaturas muito elevadas, o que acresce a dificuldade do percurso, que em algumas zonas não têm muitas áreas de sombra. Se optar por esta altura do ano, recomendamos que inicie o percurso no horário mais cedo possível, de modo a evitar as horas de maior calor.

 


Que outros percursos posso realizar em BTT?
Além da GR13 - Via Algarviana, recomendamos também que descubra as Ligações à Via Algarviana. Estas infraestruturas são também uma boa opção para os praticantes de BTT poderem chegar à Via Algarviana, sempre a pedalar. 

 


Que condição física esta Grande Rota exige?
A GR13 é um percurso muito exigente, a nível físico e técnico. É fundamental que tenha uma boa condição física, pois irá ser constantemente desafiado pelas subidas e descidas acumuladas. Analise as características de cada dia e as altimetrias do território que irá encontrar para avaliar se está apto para esta sua experiência. 

 


Que cuidados devo ter na preparação da bicicleta?
Os praticantes da modalidade BTT devem analisar atentamente as características e o estado da bicicleta para percorrer esta Grande Rota.
Leia atentamente a informação que preparámos para si sobre a bicicleta, equipamento e outros cuidados a ter na Preparação Mecânica da Bicicleta

 


Existem pontos de abastecimento ao longo do percurso?
A GR13 - Via Algarviana atravessa o interior do Algarve, passando por zonas muito despovoadas. Por isso, embora haja alguns pontos de abastecimento assinalados ao longo do percurso, que deve confirmar antecipadamente, é fundamental que leve consigo muita água e mantimentos suficientes para a jornada diária. Este planeamento antecipado é muito importante, para que não seja surpreendido caso encontre não um estabelecimento aberto para se reabastecer.

 


Que tipo de mantimentos devo levar?
Recomendamos que leve consigo, no mínimo, dois cantis de água, de preferência com capacidade igual ou superior a 750 ml cada, podendo levar um cantil extra na bagagem. Leve também para consumir no caminho algumas barras energéticas, fruta como bananas e figos secos, sais (não aconselhamos os sais a quem não está habituado, pois podem causar problemas gástricos).


Devo levar material de reparação na bagagem? 
Sim. Previna-se para o caso de ocorrer algum problema com a bicicleta durante a viagem. Poderá estar num local inacessível, sem rede e sem assistência técnica. Leve consigo pelo menos este material: câmara-de-ar, caixa de reparação de furos, jogo de desmontas, descravador de correntes, elos de engate, jogo de chaves tipo canivete, bomba de ar ou bomba de CO2, lubrificante para a corrente, fita americana ou arame ou corda, para qualquer eventualidade.
Leia também atentamente a informação sobre a Preparação Mecânica da Bicicleta aqui

 

 Devo usar GPS?
O percurso está completamente sinalizado, mas é aconselhável usar GPS e descarregar as coordenadas que disponibilizamos nas Etapas da GR13 - Via Algarviana. Todas as informações são apresentadas no sentido recomendado, de Alcoutim ao Cabo de São Vicente. Se decidir fazer o trajeto no sentido inverso, não se esqueça de que tem de inverter a linha dos valores do acumulado de subida e descida. O nível de dificuldade dos setores pode variar consoante o sentido em que os faz.

 

 



COVID-19 

Posso realizar percursos durante a pandemia?
Procure informar-se antecipadamente das medidas de saúde pública em vigor, implementadas para proteção de todos.
Nesta fase, convém estar preparado para todos os imprevistos que podem surgir, planear toda a logística de transportes, estadia e alimentação, bem como preparar-se para as condições climatéricas que irá encontrar e as questões técnicas do percurso.

 


Existem medidas restritivas em vigor?
Leia atentamente a informação importante para quem está a planear viajar em Portugal em tempo de pandemia, reunida pelo Turismo de Portugal. Consulte também as Perguntas Frequentes.

Por favor, confirme sempre as medidas restritivas em vigor através de informação fornecida pelas autoridades.


Os serviços estão a funcionar normalmente?
Em tempo de pandemia, convém planear o mais antecipadamente possível não só as dormidas como as refeições. Devido às restrições para combate à propagação da COVID-19, poderá encontrar alguns constrangimentos nos alojamentos, serviços de restauração, transportes, lojas de bens alimentares, entre outros. 

Confirme junto destes serviços se estão abertos e a funcionar normalmente para reservar com antecedência tudo o que irá necessitar. 

O Turismo de Portugal criou o Selo Clean & Safe, que reconhece as empresas do setor do turismo que cumprem as medidas de higiene e de segurança, recomendadas pela Direção-Geral da Saúde para evitar a propagação da COVID-19.
Os empresários do setor do Turismo estão a trabalhar para garantir uma experiência segura durante a sua visita. Ao reservar, procure este selo de confiança.

 


Que cuidados devo ter enquanto visitante?

  • O uso de máscara é obrigatório em transportes e serviços públicos, lojas e supermercados, espaços fechados ou locais com aglomerações. Traga a sua própria máscara (e, para bem do ambiente, prefira as reutilizáveis, mantendo a devida higienização; se utilizar as descartáveis, não se esqueça de as colocar no lixo comum, devidamente acondicionadas num saco).
  • A higienização das mãos é uma das medidas de prevenção da propagação da COVID-19. Lembre-se, lave as mãos regularmente com água e sabão. Caso esta opção não seja possível, traga consigo o seu próprio gel desinfetante à base de álcool.
  • Pratique a etiqueta respiratória. Evite tocar os olhos, nariz ou boca sem higienizar as mãos. Cubra o nariz e a boca com lenço descartável ao tossir ou espirrar e, de seguida, deite-o no lixo e higienize as mãos. Não partilhe objetos de uso pessoal.
    Em caso de sintomas, contacte o SNS24 (808 24 24 24).
  • As medidas de distanciamento social pretendem reduzir a interação social entre pessoas. Mantenha, sempre que possível, uma distância superior a dois metros de outras pessoas e evite as formas de cumprimento habituais, como apertos de mão ou abraços.
    Ao atravessar o território Via Algarviana, irá cruzar muitas localidades com uma população maioritariamente idosa, um dos grupos que apresenta um maior risco de doença grave por COVID-19. Embora os residentes recebam os visitantes de forma afável, respeite esta e as outras regras de segurança, de modo a proteger a população local.

 

 - - 

Não encontra a informação que procura?

Envie-nos um e-mail para viaalgarviana@viaalgarviana.org com a sua questão!

Agora que já tem tudo a postos para esta experiência, só falta dar o primeiro passo.