PR4 MCQ - Trilho dos Moinhos (Monchique)
Trilho circular de 10,3 km nos arredores de Monchique. Os bosques densos e frescos, os velhos moinhos, as árvores monumentais e a ribeira marcam o percurso, que inicia na vila.
PR4 MCQ - Trilho dos Moinhos (Monchique)
Localização
Algarve, concelho de Monchique, freguesia de Monchique
Acessos (de Carro)
Pela EN 125, seguir pela EN 266 até Monchique
Ponto de Partida
Tipo de Percurso
Circular
Localização
Algarve, concelho de Monchique, freguesia de Monchique
Acessos (de Carro)
Pela EN 125, seguir pela EN 266 até Monchique
Ponto de Partida
Tipo de Percurso
Circular
Grau De Dificuldade
Algo difícil
Altitude Mínima
436 m (Mercado de Monchique)
Altitude Máxima
634 m (Portela das Eiras)
Disponibilidade De Água
No início e no final
Mercearias Locais
No início e no final
Extensão
10,30 km
Duração
3 h (aprox.)
Subida Acumulada
496 m
Descida Acumulada
496 m
Grau De Dificuldade
Algo difícil
Altitude Mínima
436 m (Mercado de Monchique)
Altitude Máxima
634 m (Portela das Eiras)
Disponibilidade De Água
No início e no final
Mercearias Locais
No início e no final
Extensão
10,30 km
Duração
3 h (aprox.)
Subida Acumulada
496 m
Descida Acumulada
496 m
Descrição do itinerário

O percurso começa no centro da vila de Monchique, no Largo dos Chorões. Siga as indicações em direção à Galeria de Santo António. Suba as escadinhas da Travessa do Revez e siga pela Câmara Municipal em direção ao Peso, passando por Mata-Porcas.

Aqui entra na vegetação densa, avistando um moinho de vento antigo, já sem uso. Se olhar em direção a nordeste avista outro moinho de vento. Continue a descer até ao Barranco dos Pisões, atravessando a Ribeira de Seixe, onde poderá visitar o Moinho do Poucochinho e um plátano centenário, classificado como árvore monumental. 

De volta em direção ao centro de Monchique, suba pela serra desfrutando do clima natural e muito fresco. Siga sempre a estrada de asfalto e desça até encontrar um grande povoamento de castanheiros.

Chegando ao sítio da Portela das Eiras, siga as indicações em direção ao Convento de Nossa Senhora do Desterro, onde pode parar e contemplar a maravilhosa vista para o centro da vila. Desça de regresso ao ponto inicial, onde encontra ainda alguns fontanários e um moinho de água sem utilização, na zona do Pomar Velho. Termine o percurso no centro da vila.

O que pode ver?

» PATRIMÓNIO HISTÓRICO

Moinho do Poucochinho (N37º20’00.28” W8º34’01.59”)
Localizado no Barranco dos Pisões, este moinho de água deve o seu nome ao antigo proprietário. O Moinho foi construído com a função de retirar a gordura e dar consistência aos tecidos produzidos pelas tecedeiras. Para isso, utilizava o pisão (engenho primitivo com um enorme martelo de madeira que a água levanta e faz cair sobre o tecido), que preparava a lã, tornando a ribeira turva, e daí o seu nome alternativo Ribeira da Tinta Negra. Aos indivíduos que trabalhavam neste ofício dava-se o nome de Pisões.

O Moinho do Poucochinho foi depois convertido para a moagem de cereais e recuperado pela Junta de Freguesia de Monchique, com mobiliário da época. Atualmente, é posto a laborar apenas com objetivos didáticos e de animação turística.

Aqui há também um Parque de Merendas: desfrute da frescura das copas verdes das árvores, do som da água da ribeira e duma fonte de água potável, aproveitando para uma pausa e para restabelecer energias.

Ruínas do Convento de Nossa Senhora do Desterro (N37º19’10.72” W8º33’35.29”)
Segundo a lenda, a criação deste convento franciscano deve-se ao cumprimento de uma promessa. Dois navegantes estavam em perigo no alto mar e prometeram que, caso se salvassem, construiriam uma igreja no primeiro lugar de terra que avistassem.

O que se sabe ao certo é que o Convento da Nossa Senhora do Desterro foi fundado em 1631 por Pero da Silva, “O Mole”, mais tarde vice-rei da Índia. São as armas do fundador que estão gravadas sobre o arco da entrada. O Convento e os frades que aí viveram por mais de dois séculos deixaram uma marca forte da sua vivência no imaginário da população de Monchique.

As ruínas do Convento erguem-se num lugar muito aprazível, rodeado de arvoredo, com um belo panorama sobre a vila e arredores. A imagem de Nossa Senhora do Desterro, orago do Convento, está atualmente na Ermida de São Sebastião, em Monchique. 

Nota: Devido ao estado de degradação do edifício, não recomendamos a visitação ao interior das ruínas, por questões de segurança.



» PATRIMÓNIO NATURAL

Ribeira de Seixe
A Ribeira de Seixe nasce no concelho de Monchique e desagua no oceano Atlântico, perto de Odeceixe, no concelho de Aljezur. Numa parte significativa do seu percurso, marca a fronteira entre o Algarve e o Alentejo. O Barranco dos Pisões é um dos seus maiores afluentes. 

Árvores Monumentais
Monchique tem um grande número de árvores monumentais, algumas classificadas, outras em processo de classificação. Neste percurso, vai poder apreciar três imponentes exemplares.

  • Araucária (Quinta da Vila) (N37º19’05.31” W8º33’17.67”)
    Situada num pequeno terraço do Parque Municipal, esta árvore classificada, de grande porte e 36,5 m de altura, avista-se de toda a vila de Monchique. É um marco na paisagem e uma referência na memória local.
    Diz-se que esta Araucária-de-norfolk (Araucaria heterophylla (Salisbury) Franco) foi plantada para celebrar um casamento.
    Em meados do século passado, e para demonstrar a sua coragem e ser bem visto pelas raparigas da vila, um jovem escalou a árvore para recolher a ponta (flecha) e regressou são e salvo com a ponta da árvore para mostrar a sua destreza. A árvore sobreviveu a estes danos e agora é possível ver, a partir do Miradouro do Largo de São Sebastião, as duas pontas de crescimento que criou.  
  • Araucária (Quinta do Viador) (N37º19’22.66” W8º33’28.00”)
    É fácil avistar esta árvore monumental classificada, uma Araucária-de-norfolk (Araucaria heterophylla (Salisbury) Franco), com cerca de 150 anos e 44 m de altura. Este é o maior exemplar de araucária existente na vila. Aprecie ainda um dos tanques públicos para lavar roupa, na entrada da Quinta do Viador, que recebe água da nascente e continua a ser utilizado até aos dias de hoje.
  • Plátano (Barranco dos Pisões) (N37º19’57.16” W8º34’04.61”)
    Este plátano classificado (Platanus orientalis L. var. acerifolia Aiton) é um verdadeiro monumento vivo. Tem cerca de 150 anos e 41 m de altura. 

Quer conhecer mais algumas destas árvores? Então não perca a Rota das Árvores Monumentais, uma das 4 Rotas Temáticas da GR13 - Via Algarviana com três percursos disponíveis, todos com início no centro da vila.

Contactos Úteis
  • Câmara Municipal de Monchique: (+351) 282 910 200
  • Junta de Freguesia de Monchique: (+351) 282 912 871
  • Associação Almargem: (+351) 289 412 959
  • Centro de Saúde de Monchique: (+351) 282 910 100   
  • Bombeiros Voluntários de Monchique: (+351) 282 910 000
  • Guarda Nacional Republicana – Monchique: (+351) 282 912 629 
  • Posto de Turismo de Monchique: (+351) 282 911 189 
  • Se detetar um incêndio ligue: 117
  • Em caso de emergência ligue: 112

 

Mais informação? 

Descarregue estes ficheiros.
E boa caminhada!

Folheto Informativo com Mapa
Track GPX PR 4 MCQ – TRILHO DOS MOINHOS
Track KML PR 4 MCQ – TRILHO DOS MOINHOS