PR9 CTM – Mina e Albufeira (Castro Marim)
Percurso circular de 7,7 km, com início e fim em Furnazinhas (concelho de Castro Marim). Este trilho passa pela antiga mina de cobre e pela albufeira de Odeleite.
PR9 CTM – Mina e Albufeira (Castro Marim)
Localização
Algarve, concelho de Castro Marim, freguesia de Odeleite
Acessos (de Carro)
Pela EN 125, seguir pelo IC 27 que segue em direção a Mértola. Seguir pela EM 505 em direção a Furnazinhas
Ponto de Partida
Tipo de Percurso
Circular
Localização
Algarve, concelho de Castro Marim, freguesia de Odeleite
Acessos (de Carro)
Pela EN 125, seguir pelo IC 27 que segue em direção a Mértola. Seguir pela EM 505 em direção a Furnazinhas
Ponto de Partida
Tipo de Percurso
Circular
Grau De Dificuldade
Algo difícil
Altitude Mínima
60 m (Ribeira de Odeleite)
Altitude Máxima
231 m (Cerro Pelado)
Disponibilidade De Água
No início e no final
Mercearias Locais
No início e no final
Extensão
7,70 km
Duração
2h - 3h (aprox.)
Subida Acumulada
266 m
Descida Acumulada
258 m
Grau De Dificuldade
Algo difícil
Altitude Mínima
60 m (Ribeira de Odeleite)
Altitude Máxima
231 m (Cerro Pelado)
Disponibilidade De Água
No início e no final
Mercearias Locais
No início e no final
Extensão
7,70 km
Duração
2h - 3h (aprox.)
Subida Acumulada
266 m
Descida Acumulada
258 m
Descrição do itinerário

O percurso começa no centro das Furnazinhas, junto ao largo principal. Daqui segue pelas ruas estreitas, com casas bem arranjadas e caiadas, em direção ao caminho antigo, ladeado de muros de pedra, e até à estrada que vai para os Fortes, junto ao parque de merendas.

Vire à esquerda e logo a seguir à direita, para um caminho que segue para a Albufeira de Odeleite. Sugerimos que vá até à Mina das Furnazinhas (poço e escombreiras da antiga mina de cobre). De volta ao cruzamento, desça à esquerda. No cruzamento vire à esquerda, novamente, pelo caminho que o levará até às margens da Albufeira de Odeleite, onde pode fazer uma pausa.

Volte ao percurso pelo mesmo caminho até ao cruzamento. Aqui, desta vez, deve seguir em frente. No cruzamento com a estrada asfaltada vire à direita e, logo a seguir, à esquerda até ao Cerro Pelado, a 231 m de altitude. Daí já avista as Furnazinhas.

O que pode ver?

Portela do Malhão
O termo “portela” refere-se a uma espécie de porta imaginária, uma passagem. No final duma subida, é como se tivesse à sua frente uma porta ou uma janela que o levam para uma paisagem completamente diferente. Neste caso, a vista é para as vertentes de Odeleite. Em direção à Portela do Malhão, percorra o caminho murado de acesso às Furnazinhas, sobre um lajeado natural em estratos inclinados.

Eiras
As eiras são construções circulares, geralmente bem cuidadas, cuja função é separar o grão (cereal, tremoço, grão...) da palha ou ramo. Encontra algumas na periferia das Furnazinhas, em zonas expostas aos ventos.

Barranco das Minas
Deve o seu nome à mina localizada aí perto. A distância do barranco até à Ribeira de Odeleite, onde este vai ter, é muito curta, pelo que aqui não há “barrancadas” (nome atribuído ao fenómeno que ocorre quando uma chuva forte aumenta de forma rápida e drástica o caudal do barranco e o torna, por vezes, perigoso), ao contrário dos barrancos que confluem para a Foupana.

Mina das Furnazinhas
É conhecida localmente como a mina de cobre das Caieiras. Caieira é o nome dado a uma encosta onde não cresce nenhuma vegetação. Era aqui que o minério ficava exposto após a lavagem. A ação da água sobre o minério tornou os solos ácidos, impedindo o crescimento de qualquer tipo de vegetação. Hoje a mina já não está em laboração, mas consegue-se ver o poço e as escombreiras. Repare nas pequenas mineralizações de sais de cobre, com especial ênfase para a malaquite (verde) e mais raramente a azurite (azul).

Galeria da Mina
A entrada para a galeria, que comunicava com o poço da mina, está completamente tapada. Foi aberto um túnel na encosta para desviar o barranco da  área da circulação e lavagem do minério.

Albufeira de Odeleite
Esta albufeira cobre uma área de 720 hectares, marcados por curvas sinuosas e escarpas abruptas. Na margem direita da antiga ribeira há um moinho de água, o Moinho Novo.

Curral da Pedra
Aqui existiu uma necrópole, segundo testemunhos da população. Na área das Furnazinhas, há referências a outras necrópoles pré-históricas, associadas a zonas mineiras.

Marco Geodésico do Cerro Pelado
Do ponto mais alto da zona (231 m) pode observar-se a Cumeada, as vertentes de Odeleite, a Albufeira de Odeleite e as terras da bacia hidrográfica da Foupana.

Cumeada
Este termo, bastante usado, designa uma área alta, alongada, que marca o “eixo” que separa as bacias hidrográficas.

Contactos Úteis
  • Câmara Municipal de Castro Marim: (+351) 281 510 740
  • Junta de Freguesia de Odeleite: (+351) 281 495 148
  • Associação Almargem: (+351) 289 412 95
  • Associação Odiana: (+351) 281 531 171
  • Guarda Nacional Republicana – Castro Marim: (+351) 281 531 004
  • Se detetar um incêndio ligue: 117
  • Em caso de emergência ligue: 112

 

Mais informação?

Descarregue estes ficheiros.
E boa caminhada!

Folheto Informativo com Mapa
Track GPX PR9 CTM – MINA E ALBUFEIRA
Track KML PR9 CTM – MINA E ALBUFEIRA